sexta-feira, 26 de setembro de 2014

Um Velho Soluço

Um velho soluço
Traz-me o teu anexo
Priva-me dos braços
Quebra-me a infância
Livra-me do medo

Como as tartarugas
Quebra este silêncio
Anda alpergatas
E no entanto treme

Vive dos tentáculos
Digere peixinhos
Enche as algibeiras
E no entanto dorme

Namora as formigas
Foge como se
Soubera que o vento
Não pára fustiga
Não geme madraça
Ansiando por
Caminhos do mato

José Afonso, poema escrito na prisão da PIDE-DGS, em Caxias, em 1973

Foto: Zeca com um ano e meio


Sem comentários:

Publicar um comentário