segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Lá no Xepangara

João Afonso:

«Aos fins-de-semana, eu, o Zeca e um amigo que ainda lá está (1983), o Simões saíamos da cidade do cimento e íamos para o caniço» Íamos os três, eu com a minha máquina de filmar, o Simões com a máquina fotográfica, e o Zeca a acompanhar-nos. O caniço no Xepangará não era tão deprimente como em Lourenço Marques de então. Invariavelmente, fazíamos este ritual dos fins-de-semana: penetrar na zona suburbana e olhar. Reuníamos na casa uns dos outros. O Zeca cantava, o Simões gravava. Éramos uma minoria, mesmo a malta do cineclube. À beira da minha casa havia dois marimbeiros que tocavam quando o dia desaparecia. Era uma coisa indescretível.»

Faziam recolhas de músicas populares de pessoas que encontravam. Destas pesquisas guardou Zeca, influências dos ritmos africanos e fez uma canção que descreveu como uma «meramente rememorativa - evocativa de personagens e lugares» intitulada «Lá no Xepangara» (Coro dos Tribunais, 1975). O álbum "Coro dos Tribunais" foi o seu primeiro trabalho gravado sem censura.


Fontes: Zeca Afonso - Livra-te do Medo - José A. Salvador

E daqui

Foto: João e Zeca Afonso no Xepangara

Sem comentários:

Publicar um comentário