terça-feira, 13 de novembro de 2018

Crise Académica (luto académico) - Maio de 1969

“A Crise de 69 teve um sarau fabuloso que é feito com os que conseguem chegar a Coimbra. Quando havia um sarau desse tipo normalmente você punha “Carlos Paredes e outros”, os outros já se sabia se se conseguisse chegar o Zeca, a PIDE cercava Coimbra. O Zeca já cá estava e foi um sarau fabuloso, todo aquele sarau foi um comício de rebeldia, bom do ponto de vista musical, o Zeca estava inspirado naquele dia… O Carlos Paredes, por exemplo, foi parado, apanharam-no. Mas com um conteúdo aquele espectáculo… toda a gente percebia que aqueles FRA’s tinham um cunho muito especial…*

* Entrevista a José Gabriel

Tudo indica que aqui houve duas atuações de Zeca, uma no Ginásio da AAC (mais tarde cantina conforme a indicação de Rui Pato) e no jardim.

Ginásio

Para além da atuação de Zeca e Rui Pato, há fotos de um outro cantor não identificado (Zeca está de joelhos no nosso lado direito) e de Adriano Correia de Oliveira. Reparar que na atuação de Adriano não está a capa no varandim, mas quando canta Zeca e esse cantor por enquanto desconhecido, está lá a capa negra sinal de luto académico. Pode-se reconhecer também António Portugal nas fotos.


Jardins da UAC

Sem comentários:

Enviar um comentário