sexta-feira, 22 de março de 2019

CARTA DO ZECA AFONSO ESCRITA DA BEIRA

De Rui Pato

A tragédia que se abateu sobre a Beira, fez-me reler uma carta do Zeca, quando ele, em Março de 66 era professor do Liceu (que certamente desapareceu) do qual ele na carta descrevia "o liceu é de um primarismo que toca as raias (ou antes, excede-as) do escândalo público; professores suspensos...um deles prometia que passaria os alunos mediante a módica quantia de 3.000$00 por cabeça". Fala também do Cine- Clube da Beira (provavelmente agora inexistente) afirmando: "este pequeno núcleo mantém o fogo sagrado com uma persistência pouco comum nos meios congéneres metropolitanos"... Queixa-se também numa fractura da perna que teve que ser tratada na Rodésia "dada a ligeireza moral dos nossos clínicos" e...entre muitas outras divagações, conclui que :" vou ler um livro que tenho aqui à cabeceira - Consolatio Philosophiae - do nosso amigo Seneca; vai ser o meu chewiggum..."

terça-feira, 12 de março de 2019

"post scriptum" - Queima das Fitas - 1964

De Rui Pato

A propósito do Zeca Afonso e da proposta agora feita pelo deputado europeu João Ferreira para que fossem aprovados projectos de divulgação e promoção da obra do Zeca nos países europeus, lembrei-me que num outro mês de Março distante 1964...o Zeca, numa carta que nos enviou escreveu este "post scriptum" : "estou interessado em ir à Queima. Será possível uma Tarde de Arte ou um sarau SEM SER ANUNCIADO"?

Para mim que com ele passei o seu período mais difícil...quando não podia sequer ser anunciado...é muito bom ainda estar cá para saber destas iniciativas de um louvor tardio, mas merecido.


... o que não acabou por acontecer pois foi anunciado mas, segundo Rui Pato, teve, no ensaio da tarde, censura prévia.

quarta-feira, 30 de janeiro de 2019

Censura no Comércio da Póvoa de Varzim

Esclarecimento de Zeca Afonso censurado no Comércio da Póvoa (de Varzim) em 25 de Janeiro de 1973, quando apontou as razões da sua não comparência a um espetáculo no Casino da Póvoa a 20 desse mês.

A data colocada em cima, foi a data que este jornal deu a conhecer esta notícia.


terça-feira, 8 de janeiro de 2019

Lembro-me hoje de ti Zeca

Lembro-me hoje de ti Zeca
Porque faz anos que nos deixaste
Que nas asas de um anjo voaste
Para encontrares outros autores
Companheiros e lutadores

Lembro-me hoje de ti Zeca
Naquela noite em Massy
Quando humildemente te pedi
Para poder cantar contigo
E tu disseste: “vamos lá amigo!”

Lembro-me hoje de ti Zeca
Quando cantavas com o Fanhais
Para uma quinta de trigais
Que precisava de um tractor
Que conseguistes com labor

Lembro-me hoje de ti Zeca
Fazia eu uma emissão
Quando me chega a informação
Que o Zé Afonso nos deixara
Que a sua voz se apagara

Lembro-me hoje de ti Zeca
Porque após tantos anos
Vagueiam livres os tiranos
Os sujos vendilhões do templo
Os crápulas do mau exemplo

Mas fica descansado Zeca,
Porque hoje, amanhã e sempre
Continuaremos veentemente
Difundindo a tua luta
Contra os vis filhos da puta!

© Manuel Gaspar, membro da SPA
Ao abrigo dos direitos autorais


quarta-feira, 28 de novembro de 2018

DISCO MÚSICA & MODA, nº 1 de Fevereiro de 1971

A página 13 do primeiro número do jornal "DISCO MÚSICA & MODA" continha, para além da publicidade, um artigo sobre José Afonso, relativamente ao LP "Traz Outro Amigo Também".

daqui: https://notaspassadas.blogspot.com/…/jose-afonso-canto-moco…

O próximo LP (referência ao último parágrafo deste artigo) seria o "Cantigas do Maio", considerado por um painel de 25 críticos reunidos pelo semanário Se7e, o Melhor Álbum de Sempre, da Música Popular Portuguesa.

terça-feira, 13 de novembro de 2018

Crise Académica (luto académico) - Maio de 1969

“A Crise de 69 teve um sarau fabuloso que é feito com os que conseguem chegar a Coimbra. Quando havia um sarau desse tipo normalmente você punha “Carlos Paredes e outros”, os outros já se sabia se se conseguisse chegar o Zeca, a PIDE cercava Coimbra. O Zeca já cá estava e foi um sarau fabuloso, todo aquele sarau foi um comício de rebeldia, bom do ponto de vista musical, o Zeca estava inspirado naquele dia… O Carlos Paredes, por exemplo, foi parado, apanharam-no. Mas com um conteúdo aquele espectáculo… toda a gente percebia que aqueles FRA’s tinham um cunho muito especial…*

* Entrevista a José Gabriel

Tudo indica que aqui houve duas atuações de Zeca, uma no Ginásio da AAC (mais tarde cantina conforme a indicação de Rui Pato) e no jardim.

Ginásio

Para além da atuação de Zeca e Rui Pato, há fotos de um outro cantor não identificado (Zeca está de joelhos no nosso lado direito) e de Adriano Correia de Oliveira. Reparar que na atuação de Adriano não está a capa no varandim, mas quando canta Zeca e esse cantor por enquanto desconhecido, está lá a capa negra sinal de luto académico. Pode-se reconhecer também António Portugal nas fotos.


Jardins da UAC