quarta-feira, 4 de outubro de 2017

Zeca Afonso e Rui Pato na crise académica de 1969

A crise académica de 1969 começou quando não foi permitido aos estudantes o uso da palavra durante a inauguração do edifício das matemáticas. Alberto Martins, na altura presidente da Direção Geral da Associação Académica, subindo para uma cadeira com a capa aos ombros diz:

“Em nome dos estudantes de Coimbra, peço a palavra”.

O regime não o permitiu e, a 17 de abril, Alberto Martins foi detido e passou a noite na cadeia. Outros oito estudantes da Universidade, a 22 de abril, foram suspensos e proibidos de assistir às aulas. A Assembleia Magna decreta o luto académico e muitos artistas aderem a esta luta estudantil.

Zeca Afonso não poderia ficar indiferente e no Ginásio e num outro local, Zeca ali está com o seu amigo de sempre, Rui Pato, a apoiar a luta dos estudantes.

São desses momentos as fotos aqui colocadas (numa das fotos, Zeca está ajoelhado à esquerda de Rui Pato).

1969 foi o ano que "acabou" a ligação entre Zeca e Rui Pato. Impedido pela PIDE de se deslocar a Londres onde Zeca iria gravar o LP "TRAZ OUTRO AMIGO TAMBÉM" devido à luta estudantil, Rui Pato foi substituído por Carlos Correia (Bóris).

Voltariam a cantar e a tocar juntos 14 anos depois, janeiro de 1983, no Coliseu, onde Rui Pato acompanharia Zeca em três dos seus mais antigos temas.

Sem comentários:

Enviar um comentário